Queixas atingem mais a Cofidis Cetelem e Credibom

As empresas especializadas no crédito ao consumo são as que foram alvo de mais pedidos de mediação, em proporção ao crédito concedido. Entre os maiores bancos destaca-se o Barclays.

queixas de créditoO agora apresentado relatório de actividade do Mediador do Crédito confirma que as instituições financeiras especializadas no crédito ao consumo foram mesmo as mais “apontadas” por processos de mediação – contabilizando-se apenas aqueles que foram aceites pelo mediador, quando se estabelece a proporção com os financiamentos concedidos por todas as instituições de crédito. A incidência destes processos é também no referido crédito ao consumo.

Apuradas as taxas de incidência do recurso ao mediador de crédito com base na razão entre o número de mediações e o volume de crédito concedido a clientes, as sociedades financeiras que ocupam o top dos pedidos são a Cofidis, o banco Cetelem e o Credibom.

Registe-se que Cofidis, Cetelem e Credibom ocupam por esta ordem o topo da lista se exceptuarmos a SPGM e a Oney, que não têm peso suficiente em termos de volume de crédito pessoal atribuído. Para sermos mais rigorosos, é o BNP Paribas Personal Finance que figura na lista, uma vez que é a instituição detentora do Cetelem.

Entre os principais Bancos a exercer actividade em Portugal, o Barclays Bank surge como o que teve uma maior taxa de processos de mediação aceites desde que o mediador do crédito teve a sua actividade iniciada, em Junho de 2009. Seguem-se o Santander Totta e o Banco BPI. Em termos absolutos, a Caixa Geral de Depósitos é a instituição bancária com mais mediações, totalizando vinte e um processos, logo depois aparece o Santander Totta com onze.

No extremo oposto – aqui sim um título positivo que poderá ser exibido – a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, o Millennium BCP e o Banif são as instituições bancárias com menor rácio de processos de mediação de crédito em função dos créditos concedidos.