Quanto vou ter que pagar pelo crédito

Quanto vou ter que pagar pelo crédito

Por

29 de Outubro de 2013

0 comentários

Crédito Pessoal

quanto vou pagar pelo créditoEm Portugal temos vindo a assistir nos últimos anos a uma demanda crescente por crédito pessoal.

À tendência, por certo não têm sido alheios vários fatores que caraterizam atualmente as vida das famílias, como o desemprego, o corte nos salários e o endividamento progressivo e generalizado de quem na falta de rendimentos não conseguiu, ou não pôde, fazer diminuir de igual modo as suas despesas e obrigações.

Quando chegam a um limite de sufoco e falta-lhes liquidez, as pessoas têm a tendência para recorrerem ao crédito pessoal.

Fazem-no porque na realidade, este é o tipo de crédito com menores exigências, e onde se vai assistindo a uma oferta bastante diversificada e concorrencial, onde várias financeiras e bancos têm apostado em disponibilizar créditos rápidos na aprovação e acessíveis à generalidade da população.

A celeridade com que a concessão de crédito é levada a cabo, por vezes em menos de 48h o dinheiro já está disponível, leva a que se construa uma certa sensação de facilitismo, que amargamente nalguns casos, é desconstruída mais tarde.

Quanto afinal irá ter que pagar pelo crédito pessoal?

Será nesta resposta que se deverá concentrar em vez de se iludir com a facilidade com que pode conseguir o financiamento.

Por mais fácil que o empréstimo lhe pareça, consciencialize-se que vai pagar o dinheiro mais caro do que o vai obter.

Ou seja, a financeira ou o banco, vão retirar lucro do crédito que lhe vão conceder. Lucro esse que será pago por si.

As taxas de juros são um grande indicador desse lucro – do excedente que terá que pagar em relação ao que obterá, mas não apenas as taxas, também as comissões e outros custos relacionados com o processo de concessão do empréstimo.

Daí que tudo refletido, aconselhemos a TAEG como o grande indicador do custo que vai ter com o crédito.

Esta taxa reflete não só os juros como os restantes encargos, nomeadamente as comissões e até eventuais seguros, que o protegem do incumprimento, mas que contribuem para tornar o crédito mais caro.

Grosso modo, digamos que se tiver que pagar um empréstimo à TAEG de 15%, ao emprestarem-lhe mil euros acabará por ter que restituir esse montante acrescido de mais 150 euros.

Saiba o que não deve fazer com vista a minorar o que terá que pagar pelo crédito

  • Não deve contrair financiamentos maiores do que o montante que realmente necessita. Calcule o mínimo que precisa e indique esse valor como o montante do crédito.
  • Algumas empresas de crédito cobram-se por custos de abertura, de manutenção, de avaliação de processamento, etc. Diga-lhes para esquecerem … que na concorrência não é assim. Peça a TAEG para ficar completamente elucidado de todos os custos envolvidos. As comissões escondidas podem-se tornar um pesadelo para si.
  • Faça várias simulações de crédito, onde é mais provável obter bons preços, e só na posse de todos os dados e estabelecendo uma rigorosa comparação se decida pelo crédito pessoal que quer contrair.

Tags

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*